CIRURGIA PLÁSTICA

abdominoplasty.png

A Cirurgia Plástica é a especialidade médica que tem por finalidade a reconstituição de alguma parte do corpo humano. Por meio da retirada ou transferência de tecidos entre diferentes regiões, é possível se reconstruir a anatomia e devolver a função de algum local acometido por deformidades congênitas ou adquiridas (como traumas e queimaduras), bem como por patologias como câncer de mama e de pele.

A Cirurgia Plástica se divide em Reparadora e Estética de acordo com seu objetivo. 

Nosso cirurgião plástico é o Dr. Vitor Pagotto (@vitorpagotto.plastica), com graduação e residência pela Faculdade de Medicina da USP. Saiba um pouco mais sobre ele clicando aqui

Conheça abaixo alguns dos procedimentos e cirurgias dessa especialidade.

Rejuvenescimento Facial

Os sinais de envelhecimento da face e do pescoço estão entre os principais motivos que levam as pessoas a realizarem cirurgias plásticas e procedimentos voltados para o rejuvenescimento.

Mais recentemente, com o maior entendimento desse complexo processo de envelhecimento, aumentou-se também a procura por procedimentos para retardar ou promover o envelhecimento de forma mais saudável e natural.


Os procedimentos, que podem ser cirúrgicos ou não, são realizados com o intuito de:

  • Atenuar os sinais de envelhecimento natural;

  • Promover a melhora do contorno facial;

  • Conferir um aspecto mais jovem;

  • Tratar flacidez e excesso de pele;

  • Suavizar os vincos e rugas faciais;

  • Restaurar o volume facial perdido ao longo dos anos;

  • Reestruturar e reposicionar as estruturas profundas da face.


 

Os principais procedimentos são:

  • Lifting cervicofacial: técnica utilizada não só para correção da flacidez da face, como também para o tratamento das papadas e estruturas do pescoço (musculatura, excesso de gordura e flacidez);

  • Lipoenxertia: técnica complementar ao tratamento da flacidez que promove a restauração do volume facial perdido ao longo dos anos com a injeção de gordura obtida de outras partes do corpo (lipoaspiração);

  • Blefaroplastia: retirada de excesso de pele das pálpebras;

 


A escolha das técnicas empregadas deve ser indicada pelo médico especialista, de acordo com a necessidade e características individuais do paciente.

Cirurgia Plástica pós Bariátrica

Abdome, mamas, braços e coxas

Depois da realização de uma cirurgia bariátrica, os excessos de pele decorrentes da grande perda de peso podem ser tratados para promover melhor saúde e qualidade de vida.

 

O aumento de peso promove alongamento da pele além de sua capacidade de retração. Assim, mesmo com a redução do tecido gorduroso, o excesso de pele provoca flacidez, interferindo nas atividades diárias e na autoestima. Há um conjunto de técnicas de cirurgia plástica capaz de remodelar o contorno corporal e podem ser realizadas em diferentes locais do corpo, como abdome, mamas, braços e coxas:

  • Abdominoplastia;

  • Suspensão ou redução de mamas (mastopexia/mamoplastia redutora);

  • Braquioplastia;

  • Lifting de coxa (cruroplastia).

 

A lipoaspiração pode ser utilizada como técnica complementar para definição do contorno corporal e tratamento de acúmulo de gordura localizada.

Prótese de silicone

Colocação, troca ou remoção

A cirurgia de colocação de implantes de mama é realizada com o intuito tanto de aumento quanto de alteração da forma. Pacientes que consideram suas mamas pequenas ou aquelas que buscam restaurar o volume após perda de peso, gravidez ou tratamentos de câncer de mama podem se beneficiar deste procedimento.

 

Atualmente, as cirurgias de colocação de implante de mama podem ser complementadas com a utilização de enxerto de gordura obtido através de lipoaspiração. Essa cirurgia híbrida possui a vantagem de proporcionar contorno e tamanho personalizados às características da própria paciente.

 

Volume das próteses de silicone (ml), formato, localização acima ou abaixo do músculo e vias de acesso (axila, sulco inframamário ou aréola) são decididos conforme o desejo da paciente e as características de seu corpo.

 

Troca de prótese

Apesar de os implantes de mama modernos não apresentarem data de validade, algumas situações podem indicar a necessidade de troca dos mesmos. Desejo de alterar a forma ou o volume das mamas é, sem dúvida, um dos principais motivos que levam as mulheres a trocar seus implantes.

 

Entretanto, existem também outras situações que podem levar as pacientes a apresentarem sintomas e buscar seu médico para uma avaliação, na qual a troca dos implantes pode ser indicada:

  • Ruptura/rotura da prótese de silicone;

  • Contratura capsular (endurecimento, dor e deformidade);

  • Coleções de líquidos (seroma, hematoma ou infecção);

  • Síndrome ASIA;

  • BIA-ACLC (linfoma anaplásico de grandes células associados a implantes de mama);

  • Insatisfação com resultado ou deformidades.

 

Na troca, o implante pode ser retirado com toda a sua cápsula. Volume (ml), formato, localização acima ou abaixo do músculo e vias de acesso (axila, sulco inframamário ou aréola) também são decididos conforme o desejo da paciente as características, de seu corpo e dos efeitos da(s) cirurgia(s) prévia(s).

 

Retirada de prótese 

Algumas pacientes podem apresentar o desejo de retirar os implantes de mamas sem substituição por implantes novos. As causas para a remoção costumam ser semelhantes àquelas enfrentadas pelas pacientes que desejam a troca.

 

Entretanto, é importante observar que a retirada da prótese promove redução do volume da mama com possível necessidade de rearranjo dos tecidos com técnicas de mamoplastia. Quando desejada a restauração parcial do volume, pode ser realizada com a colocação de enxerto de gordura obtido através da lipoaspiração.

Reconstrução de mamas

Em determinadas situações, o tratamento do câncer de mama pode provocar alterações na mama, gerando muitos impactos na vida da mulher. Para auxiliar nesse momento, as pacientes podem recorrer  à reconstrução.

 

O procedimento de reconstrução de mama envolve técnicas de cirurgia plástica que são capazes de restaurar as mamas, considerando não apenas a forma, a aparência e o tamanho antes do tratamento, mas também o formato ideal para a mama em harmonia com o corpo da mulher. É importante ressaltar que a reconstrução de mama pode envolver as duas mamas, de forma a buscar harmonia e satisfação.

 

Além do implante de silicone,  a reconstrução pode ser feita apenas com o uso de tecidos da própria mama, quando em excesso ou com outros tecidos do próprio corpo, como abdômen ou costas.

Reconstrução microcirúrgica

e feridas complexas

A microcirurgia reconstrutiva é uma técnica que utiliza-se de treinamento especializado, microscópios e fios cirúrgicos extremamente finos para manipular estruturas delicadas do corpo, como artérias, veias e nervos.

 

Esse procedimento é indicado para pacientes que necessitem de reconstruções avançadas com melhor função e menor efeito na área doadora, como em tratamentos de câncer de cabeça e pescoço ou mama.

 

Além disso, o transplante de nervo e músculo pode ser realizado para restauração de função na face e também em outras áreas do corpo. Por fim, indivíduos que sofreram perdas de pele e/ou outros tecidos também podem necessitar de microcirurgia para reconstrução.